carta a uma mãe de recém-nascido

Antes de mais nada, lembre-se do nosso lema: tudo passa. This too shall pass.Tanto a parte boa quanto a parte ruim passam, portanto foque na parte boa.

Vai demorar um pouco até você e seu bebê falarem a mesma língua. Não tenha pressa. Observe, tente, erre, tente novamente. Aproveite cada choro para consolá-lo e dar a ele a certeza de que você sempre estará ali quando ele precisar.

Pode demorar um tempo até você sentir prazer em amamentá-lo. Não tenha pressa. Dói no começo, mas logo passa e vê-lo se deliciar com seu leite se tornará um dos melhores momentos do dia. Mas se por qualquer motivo você não conseguir amamentá-lo, dê a ele uma mamadeira cheia de olhares de afirmação e carinho. Você não é menos mãe por causa disso.

Pode demorar um pouco até que ele durma a noite toda. Não tenha pressa. Faça o seu melhor, dê a ele uma boa rotina, respeite o momento que ele estiver com sono e espere. Sua vez irá chegar e, sinceramente, pra ele não irá fazer diferença se ele dormiu a noite inteira com 15 dias ou com 1 ano. Aproveite as madrugadas com aquele corpinho quentinho deitado no seu colo para orar por ele, interceder e agradecer pela sua vida.

Não vai demorar muito e ele já não vai mais querer só ficar no seu colo. Por isso, não tenha pressa. Aproveite as tardes e manhãs em que você tiver que ficar a disposição dele para sentir seu cheirinho e enchê-lo de carinho. Encha o tanque dele de amor e chamego.

Leia quantos livros puder e ouça com respeito todos os conselhos mas filtre o que lhe serve e confie na sua intuição. Você está se tornando especialista no seu filho e não há nada como intuição de mãe. Nem tudo funciona como nos livros e nem todo conselho vale.

Quando estiver muito difícil, considere como motivo de grande alegria o fato de estar passando por tudo o que estiver passando, pois isso só está acontecendo por que ele existe. Tudo está cooperando para o seu bem e o dele, para a maturidade e crescimento de vocês. As noites em claro, o cansaço, a ansiedade e o medo são oportunidade para dobrar os joelhos e ver nascer em você força, longo ânimo, paciência, perseverança e amor sem medida que te sustentarão ao longo de cada dia.

Peça ajuda! Não tenha pressa em conseguir dar conta de tudo. Pode chorar de saudades da sua antiga vida e depender de outras pessoas. Isso não vai fazer de vc menos mãe ou uma mulher menos empoderada. Ser forte é saber admitir suas fraquezas. Está tudo bem em não estar tudo bem.

Por sinal, nada lhe fará menos mãe. Por que mãe não se compara. Vc é única para o seu filho. Você é tudo o que ele tem nesses primeiros dias, portanto não se cobre. Ele não está te julgando. Você é suficiente pra ele, por mais que não ache.

Da mesma forma, não o julgue e rotule rapidamente. Ele não nasceu pronto e está se adaptando a um mundo árduo. Não o compare com ninguém. Ele é único e tem o tempo dele. Não tenha pressa em vê-lo amadurecer e se tornar independente de você. No tempo certo, com amor, disciplina, consistência e perseverança, tudo vai se ajeitar.

Por último, mas não menos importante, não se esqueça do seu marido. Divida as responsabilidades. Deixe ele participar, se ele quiser. Priorize tempo a sós com ele, nem que seja pra cochilar no sofá no colo dele enquanto ele assiste o jogo de futebol. Porque tudo passa e seu filho também passará. Não se tornem estranhos um para o outro. Quando seu bebê sair do seu ninho e for embora, serão só vocês dois novamente.

Enquanto isso não acontece, aproveite cada segundo.
Tudo passa.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Parabéns pelo texto! Lindo e expressa o sentimento materno de estou vivendo no momento. Você me emocionou!!!!
    Tenho um filho de 3 meses, Gabriel, tive depressão pós parto e foi muito difícil no começo…. Passou… Ufa.
    No começo queria que o tempo passasse logo para ele ficar independente… Mas agora … Vejo o quanto é importante curtir cada fase.
    Como você disse, tudo passa, as coisas boas e ruins e hoje estou curtindo a maternidade.
    Muito obrigada por dividir os seus pensamentos conosco.

  • Meu Deus! Como eu amo as coisas que você escreve!
    É de tamanha delicadeza que faz meus olhos se encherem de lágrimas!
    Por favor, Lu! Por mais que seja complicado com dois príncipes, um marido, mochila e violão, não deixe de escrever aqui e no Insta! Amo as coisas que vc escreve! Vibro, me emociono, consigo sentir quase tudo o que você sente, só de ler seus textos tão inspiradores! Por favor, por mim, não se permita cogitar em deixar o blog!
    OBS: Me explica esse seu menininho que é a cara do seu meninão?!?!?!? <3

    • Querida! =) Que delicia receber uma mensagem dessas! Me motiva muito a manter o blog e continuar escrevendo 😉 obrigada pelo incentivo! (na foto é o gab pequeno hehe na verdade, eu escrevi esse texto quando o gab ainda era recem-nascido, acredita?)

      • Luiza,

        Com sua vocação com as palavras, vc inspira, acalma e fortalece a nós, mamães. Obrigada pelos belos textos com tanta sabedoria vinda de uma menina, (só por fora 😉 ) e tão inspirados na Palavra de Deus. Que Ele continue a te fortalecer e cuidar de vc e de sua pequena e linda família. Um bjo. Talita – Tb sobrinha da tia Cláudia e mãe do Benjamim.